Biopark e PTI iniciam projeto para a produção de queijos finos no Oeste do Paraná

Uma parceria entre o Biopark – Parque Científico e Tecnológico de Biociências e o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI) busca o desenvolvimento de um projeto que aprimora a qualidade do leite produzido no Oeste do Paraná e a capacitação e profissionalização da atividade leiteira com objetivo de produção de queijos finos.

projeto idealizado pelo fundador e Presidente do Biopark, Luiz Donaduzzi, tem por objetivo agregar valor ao produto lácteo, viabilizar a pecuária leiteira, o turismo rural e oportunizar a melhora da qualidade de vida das famílias do campo. “O objetivo é desenvolver uma cadeia do leite, que vai além da produção do queijo apenas e possibilita o crescimento das pessoas e da região”, ressalta Donaduzzi.

Afim de conhecer experiências bem-sucedidas na atividade leiteira no estado do Paraná, uma comitiva esteve em Curitiba e nos Campos Gerais durante o mês de outubro realizando visitas e reuniões técnicas em entidades do setor. Participaram da imersão Rubia Porsch, Gerente do Biopark, Maike Maziero Montanhini, Pesquisadora do Biopark, Jonhey Nazario Lucizani, Gerente de desenvolvimento territorial do PTI, e Victoria Maria Pereira Diniz, Analista Técnica do PTI.

Em reunião com a Associação Paranaense de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa (APCBRH) foram discutidas as estratégias para o desenvolvimento da pecuária leiteira e gestão de rebanhos da região Oeste e Sudoeste do Paraná. Estiveram presentes Nereu Procopiak Filho, Assessor da Diretoria da Coordenação da Itaipu, Altair A. Valloto, Superintendente da APCBRH e o Professor Newton Paul Ribas, da Universidade Federal do Paraná.

Na região dos Campos Gerais a comitiva visitou granjas leiteiras modelo, com produção de leite a partir do sistema de ordenha robotizada. Durante reunião com o Presidente da Cooperativa Witmarsum, Arthur Sawatzky, foram apresentadas estratégias adotadas pela empresa para viabilizar o cooperativismo e a produção de leite de alta qualidade e queijos finos com alto valor agregado.

Finalizando a agenda de visitas e reuniões da semana, a comitiva conheceu o sistema de pagamento do leite por qualidade aplicado pela cooperativa aos seus associados, apresentado pelo analista técnico da Castrolanda Cooperativa Agroindustrial Ltda, Danilo Eduardo Moreira.

“As visitas e reuniões permitiram conhecer algumas das dificuldades e desafios enfrentados pelas empresas e produtores que buscam uma maior produtividade e a melhoria da qualidade do leite. A partir destas informações será possível criar algumas diretrizes para os futuros trabalhos a serem desenvolvidos dentro deste projeto”, acrescenta Rubia Porsch.

Uma das próximas ações contempladas pelo projeto é a realização de um evento para apresentação e discussão de oportunidades e estratégias para o mercado de lácteos.


Colaboração: Maike Maziero Montanhini.

image
Envie-nos uma mensagem
Faça Parte ou entre em contato