Estudo de Impacto de Vizinhança é apresentado pelo Biopark

Uma audiência pública realizada na segunda-feira (29) apresentou os resultados do Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) referente a instalação do Biopark. O relatório desenvolvido ao longo de sete meses foi compartilhado com as autoridades municipais, órgãos públicos, estudantes e comunidade presente no evento.

O estudo foi realizado pela empresa de consultoria Cia Ambiental, de Curitiba, com uma equipe técnica formada por 30 profissionais. Para o consultor Pedro Dias, o Parque não é um projeto comum e precisou ser analisado dentro de cenários de curto, médio e longo prazo. “Tivemos uma interação multidisciplinar com arquitetos, engenheiros civis, engenheiros ambientais, geólogos, biólogos, para que fosse possível projetar o cenário ao longo dos anos,” explica.

O estudo apontou que os efeitos do empreendimento estão diretamente associados à concentração de pessoas e que, por se tratar de uma área urbana convencional, demandará um planejamento do poder público para ampliação proporcional da oferta dos serviços como saneamento, transporte, educação, saúde e segurança. Também mostrou que a área de instalação do Parque já sofreu ações do homem o que reduz os efeitos da futura conversão do uso e ocupação do solo, impactando pouco nas áreas naturais.

Segundo a Gerente de Engenharia do Biopark, Flávia Baldório, o resultado do EIV trouxe uma perspectiva de quais são os impactos que a instalação pode gerar para a vizinhança. “O relatório érnuma garantia tanto para o empreendedor quanto para a comunidade, de que analisamos todas vertentes do projeto e que ele não ocasionará nenhuma ação que prejudique a cidade no futuro”, explica.

A pesquisa, na opinião de Dias, foi bastante abrangente. “Foi possível identificar as medidas que precisam ser adotadas para que os impactos negativos à vizinhança sejam minimizados e que os positivos sejam potencializados”, disse.  “Uma especificidade do estudo foi a questão do trânsito. Com ou sem o Biopark, são necessárias algumas obras de infraestrutura viária para melhor o fluxo da região”, explica.

O EIV é um dos requisitos necessários para que o Biopark receba a licença de instalação. “Em 2017 nós apresentamos o Estudo de Impacto Ambiental e recebemos a licença prévia para o projeto. Agora buscamos a licença de instalação e o EIV é um dos requisitos exigidos pela legislação federal e também pelo Plano Diretor de Toledo”, explica Flávia.

O próximo passo é o município de Toledo e o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) analisarem as contribuições da audiência pública para emissão de licenças.

Sobre o Biopark

Com uma estrutura total de maisrnde 4 milhões de metros quadrados, o maior Parque Tecnológico de Biociências do Brasil está instalado em Toledo, e transformará a região Oeste do Paraná em um polo de pesquisa, desenvolvimento empresarial e inovação tecnológica voltados para a biociência. Para conhecer mais sobre o Biopark acesse:  http://www.biopark.com.br/   

image
Envie-nos uma mensagem
Faça Parte ou entre em contato