Mídia / Notícias / Biopark / Professora do CEPBio participa de imersão em metodologias ativas na Argentina

Professora do CEPBio participa de imersão em metodologias ativas na Argentina

Data:30/05/2018


De 14 a 25 de maio, a professora de Língua Portuguesa do CEPBio, Taiana Grespan Pensin, participou de uma imersão em práticas ativas de aprendizagem na Universidade Nacional de General Sarmiento (UNGS), em San Miguel, província de Buenos Aires. A atividade teve relação direta com a pesquisa que está desenvolvendo no doutorado, mas a professora aproveitou para trazer novas ideias para o CEPBio e para o curso de Farmácia que está sendo desenvolvido pela Unibio - Universidade de Biociências do Biopark, o qual terá como base as metodologias ativas de aprendizagem.

Ao longo de duas semanas, Taiana acompanhou as atividades de um programa institucional (PRODEAC) relacionado ao desenvolvimento de leitura e escrita acadêmica, o qual é aplicado em todos os cursos da universidade. O objetivo do programa é introduzir aos estudantes, de forma sistemática, a leitura e a produção de gêneros textuais relacionados à esfera acadêmica e profissional. Segundo a professora, “os docentes das disciplinas trabalham em conjunto com os professores do PRODEAC a fim de que todas as atividades (provas, trabalhos, relatórios, exposições orais etc) exigidas aos estudantes estejam claras tanto para os alunos quanto para os docentes. Essa parceria facilita a compreensão do conteúdo e a clareza dos textos produzidos pelos estudantes”, afirma Taiana.

Entre os objetivos do programa, Taiana destacou que busca favorecer o desempenho dos estudantes por meio do desenvolvimento das competências de leitura e escrita relacionadas às atividades na universidade e também nos âmbitos profissionais. Em relação à proposta do curso que será iniciado em 2019 na Unibio, a professora acrescenta que trouxe muitas ideias para serem desenvolvidas e implementadas, sendo que a multidisciplinaridade e a preocupação com um aprendizado relacionado à prática profissional devem ser prioridades para uma educação do futuro.